Destaques

Dólar vira e passa a subir após PIB positivo; cautela com crise política ainda pesa

O dólar virou e passou a operar em leve alta nesta quinta-feira (1º), após recuar mais cedo, em meio à divulgação da primeira alta do PIB em dois anos. O Banco Central informou na véspera que deve fazer cortes menores na Selic daqui para frente. Investidores também acompanham desdobramentos da crise política que atingiu o governo de Michel Temer, segundo a Reuters.

Às 13h49, a moeda norte-americana subia 0,29%, cotada a R$ 3,2459.

"Há forte resistência (ao dólar) ao redor de R$ 3,20. Com os preços baixos das commodities, indefinição política, o dólar perto desse patamar é barato", afirmou à Reuters o diretor da consultoria de valores mobiliários Wagner Investimentos, José Faria Júnior.

Temer está sendo investigado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por crime, entre outros, de corrupção passiva, o que levou a pedidos de impeachment contra ele no Congresso Nacional. O mercado financeiro acredita que, mesmo que o presidente perca seu mandato, as reformas da Previdência e trabalhista serão aprovadas pelos parlamentares.

PIB positivo e Selic

As leves oscilações do dólar nesta sessão também eram atribuídas a um ambiente mais calmo, com notícias um pouco mais positivas, como o fato de o Brasil ter crescido 1% no trimestre passado e saído da recessão.

Além disso, o Banco Central sinalizou na véspera, ao reduzir a Selic em 1 ponto percentual, a 10,25% ao ano, que vai desacelerar o passo e cortar menos a taxa básica de juros daqui para frente.

O Banco Central não anunciou qualquer intervenção para o mercado de câmbio para esta sessão, por ora. Em julho, vencem US$ 6,939 bilhões em swap cambial tradicional, equivalente à venda futura de dólares. Entenda o que é swap cambial.

Véspera

Na véspera, o dólar fechou em queda de 0,79%, a R$ 3,2364. A moeda encerrou o mês de maio em alta de 1,94%, em meio à eclosão da crise política após a divulgação das delações da JBS, que atingiram o governo de Michel Temer.

Maio foi o terceiro mês seguido de alta do dólar, período no qual acumulou valorização de 3,95%. No ano até agora, o dólar acumula leve queda de 0,41%.

Fonte: G1